Acesse o KSI - Kurole Sistema Imobiliário

Compra e Venda

Investimento em imóveis é opção indicada, mas requer cautela em período de crise



Mesmo com o atual momento econômico atravessado pelo país, o investimento em imóveis ainda tem sido uma das decisões mais acertadas. Porém, neste período é necessário ter mais cautela em relação aos anos anteriores, tendo em vista que existem imóveis com valores acima da média, como àqueles mais viáveis para investimento.
 

 

Por Cibele Martins 

O cenário do mercado imobiliário no país apresentou uma alta excepcional até 2013. A partir desse período, iniciou-se um declínio nas vendas e, ultimamente, os números de negócios concretizados, são menores. Há de se ressaltar que, na realidade, o mercado imobiliário apenas retorna ao seu status comum. Ou seja, vende-se o que realmente tem preço de mercado (valores mais justos). “Consequentemente, essa maré baixa atingiu Santa Cruz do Rio Pardo e região, como já era esperado. Com devemos reagir? Conscientizarmos os proprietários de imóveis à venda, para que sejam mais maleáveis na hora de fechar um negócio. Se não há proposta ou sequer procura, é sinal de que o imóvel está supervalorizado. Quando somos chamados para avaliar uma propriedade, nos deparamos com clientes que já possuem valores idealizados em mente. Fazem cálculos baseados em anúncios ou pareceres de profissionais alienados ao ramo imobiliário. Existem também situações em que eles são seduzidos por corretores ou “picaretas” que insinuam que há clientes interessados em pagar quantias acima do esperado. Isso gera muita dor de cabeça tanto para o dono do imóvel como para a imobiliária que faz um trabalho sério, emperrando possíveis propostas de compra”, explica o corretor da Imobiliária Status, Wilson Eduardo Cardoso, CRECI/SP nº 148.642.
 
  Para definição do investimento a ser efetuado como terreno ou residência para revenda ou locação, é preciso entender o foco da compra.
  
 “Isso quer dizer que nada adiantaria se eu comprasse uma casa de padrão superior e quisesse um bom rendimento, pois o retorno diante do investimento seria irrisório. Um exemplo: tenho R$ 100 mil para comprar uma casa. Consigo alugar por, no máximo, R$ 500, ou seja, 0,5% de rendimento ao mês. O mesmo não acontece se eu comprar uma casa de R$ 300 mil, que deverá ser locada por até R$ 1 mil, algo em torno de 0,3% mensal”, exemplifica o corretor da Imobiliária Status.
 
  
Antes de fechar negócio, o interessado deve certificar-se do andamento do atual mercado imobiliário e do próprio imóvel. Além disso, o comprador deverá analisar quesitos como localização (se há escolas, saúde e comércios nas proximidades), se o imóvel foi bem construído (estrutura e acabamento), se há perspectiva de revenda caso necessite e, e em casos de terrenos, se há necessidade de aterro e reforço nos muros, os quais elevam consideravelmente o valor final do lote. Por exemplo, quando o adquirente de um terreno de R$ 80 mil, com desnível nos fundos, tem despesas de R$ 20 mil para nivelá-lo, e não consegue achar comprador que pague R$ 90 mil, acaba com R$ 10 mil de prejuízo.
 
  
Para o economista, Junior Guedes, professor na Faip (Faculdade de Ensino Superior do Interior Paulista), o setor imobiliário como todos os outros passa por dificuldades no atual cenário, principalmente por conta da ausência de crédito, no entanto, para aqueles que dispõem de recursos, ainda é uma alternativa de viável de investimento. “Sempre há bons negócios. E os imobilizados garantem liquidez no futuro e segurança no capital, pois dificilmente o comprador perderá dinheiro, pode ser que o retorno não seja imediato, mas acontece a médio e longo prazo”, pontua.
 
 
 “Embora as vendas de imóveis tenham sofrido uma queda, não quer dizer que não seja a melhor alternativa de investimento. Além de rentável, é um meio mais seguro e eficaz de negócio. Não deixe que a crise te impeça de ver o quanto é bom investir em imóveis, pois é possível ter sucesso em um investimento analisando o histórico do país, e não só aquele momento específico”, completa o corretor de imóveis.
 
 
 Para aqueles que pretendem fazer um investimento em imóveis é indicado procurar a uma imobiliária, pois o corretor orientará o investidor do melhor negócio, mostrando ao cliente os pontos positivos e negativos de se adquirir aquela casa específica, ou aquele terreno em determinado bairro, ou então, se aquela área rural é ou não específica para plantio ou pecuária, e ainda qual será o seu retorno em cada uma dessas hipóteses. Destaca-se também, que a imobiliária sempre irá se preocupar com eventuais riscos que o comprador ou vendedor poderá ter, sejam problemas estruturais do imóvel, como eventuais dívidas municipais, estaduais e federais, hipotecas, ações trabalhistas, entre outras. São problemas que, dificilmente, o cliente irá conseguir ter êxito, sem que haja o acompanhamento de profissionais competentes.